Estupor: o que é, tipos, causas, sintomas e tratamento

Shares

estupor - estupor - Estupor: o que é, tipos, causas, sintomas e tratamento

Estupor – Vamos pensar por um momento sobre cada uma das ações que realizamos diariamente. Caminhando, conversando, lendo, comendo… muitas dessas ações nós fazemos praticamente de modo automático, enquanto outras exigem uma certa reflexão.






No entanto, todas elas têm algo em comum: exigem um certo nível de consciência que nos permite executá-las. E nem sempre temos isso, como quando estamos dormindo. Nosso nível de consciência pode variar muito de maneira natural.

Agora, algumas vezes, algumas doenças, lesões ou distúrbios podem causar um déficit no estado de consciência do qual não somos capazes de sair. O exemplo mais sério disso é o coma, mas existem outros distúrbios ou alterações semelhantes e muito graves. Este é o caso do estupor, sobre o qual vamos falar ao longo deste artigo.

O que é estupor?

É possível que em algumas conversas tenhamos ouvido ou até mesmo usado o termo estupor para nos referirmos a um estado de surpresa que nos impede de reagir. É um uso popular e válido desta palavra, mas há também um significado médico.

Nesse sentido, o nome estupor é dado a uma condição ou alteração do estado de consciência de uma pessoa, na qual há uma diminuição acentuada de atenção.

Sintomas






O estupor é um estado de perda ou déficit de consciência em que o sujeito permanece semiconsciente e não reage à estimulação ambiental. É praticamente impossível tirá-lo desse estado, a menos que seja aplicada uma estimulação muito intensa e poderosa. Alguns dos estímulos que podem alterar esse estado são, por exemplo, gritos ou estímulos de dor.

A característica mais marcante deste estado é a passividade e a falta de movimentos voluntários.

É possível que em momentos de elevação da consciência o sujeito faça pequenos gestos ou mesmo realize alguma pequena vocalização ou som, embora estes sejam inconsistentes e não-relativos ao contexto.

É importante ter em mente que este estado não é fingido ou voluntário, de modo que a falta de atenção ao meio ambiente é uma consequência e não causa do estado de estupor. A atividade cognitiva é diminuída pela ausência de um estado vigilante e atento, e a indiferença ocorre no nível afetivo.

Tipos

Embora o conceito de estupor seja definido pela explicação dada acima, é possível identificar diferentes tipos de estupor, dependendo de sua causa e algumas características específicas ligadas a eles.

1. Estupor orgânico

Em primeiro lugar, vale a pena mencionar que podemos encontrar um estupor de tipo orgânico, no qual a causa é uma alteração neurológica de origem biológica ou adquirida. Este tipo de estupor é caracterizado pela tendência de aparecer em um contexto de disfunção cerebral difusa, e um olhar perdido ou olhos fechados. Nesse estado, você pode executar algumas ações incomuns.

2. Estupor psiquiátrico

Outro dos principais tipos de estupor é o psiquiátrico, derivado de algum tipo de psicopatologia. Dentro dela podemos encontrar o estupor catatônico, o melancólico/depressivo e o dissociativo.

2.1. Estupor catatônico

É um tipo de estupor que aparece em pacientes com esquizofrenia do tipo catatônico. Nesse caso, geralmente aparece a flexibilidade cerosa ou a manutenção da postura em que o sujeito é colocado, com hipertonia muscular. Também pode ser observado mutismo, comportamento de oposição ou obediência automática.

2.2. Estupor melancólico

Subtipo de estupor que aparece nos sintomas depressivos, mais frequentemente nos casos em que a depressão é endógena.

Neste caso o sujeito não responde a estímulos devido a uma inibição total do comportamento e da fala e, ao contrário de outros tipos de mutismo, pode haver uma expressão corporal que denota tristeza (embora a emoção também seja totalmente inibida).

2.3. Estupor dissociativo

Geralmente está ligada à experimentação de um evento estressante ou traumático, que causa uma dissociação na psique daqueles que a experimentam. Há imobilidade, mas se o sujeito for colocado em uma posição forçada, ele retorna à posição original. Não há resistência muscular ou rigidez.

Causas






Como podemos ver, o estupor é uma condição que pode ocorrer devido a uma grande diversidade de causas, tanto em nível orgânico quanto em nível psicológico.

Causas orgânicas

Dentro das causas orgânicas podemos encontrar o sofrimento de acidentes vasculares cerebrais ou a possível ocorrência de algum tipo de infecção a nível cerebral ou meníngeo.

Outra possível causa pode ser a existência de algum tipo de tumor, que pode causar estupor se comprimir ou afeta as áreas que governam a consciência, ou se não houver sangue, nutrientes e oxigênio suficientes no cérebro. Algumas doenças ou o sofrimento de hipoglicemia grave também podem gerar esse estado.

Também pode ocorrer em intoxicações alimentares, uso de substâncias (incluindo álcool) ou farmacológico. Também é possível que uma pessoa atinja um estado de estupor depois de ter sofrido algum tipo de lesão cerebral traumática. Nestes casos, o estupor é devido a danos, lesões ou alterações no funcionamento dos neurônios.

Alteração psiquiátrica

Com relação ao estupor do tipo psiquiátrico, isso aparece como uma manifestação ou sintoma de diferentes psicopatologias. Alguns dos mais comuns são a esquizofrenia (especificamente no antigo subtipo catatônico) ou mesmo em casos de depressão melancólica.

As causas desses distúrbios não são geralmente conhecidas, embora existam hipóteses diferentes em relação a cada um desses distúrbios. Por exemplo, a presença de eventos aversivos e traumáticos geralmente é um gatilho para aqueles do tipo dissociativo.

Tratamento do estupor

A existência de algum tipo de estupor é uma condição a ser considerada devido à falta de resposta e capacidade de agir e manter o funcionamento normativo. Para isso, é necessário ir rapidamente para a sala de emergência, caso isso aconteça (especialmente se acontecer abrupta e repentinamente).

Em primeiro lugar, é essencial garantir os sinais vitais e a estabilidade biológica, bem como monitorar sua condição.

Tenha em mente que o estupor pode ser um sintoma de uma patologia orgânica ou até mesmo um acidente vascular cerebral ou traumatismo craniano, o que poderia levar a sequelas graves, incapacidade ou até mesmo a morte se não for tratada. Do mesmo modo, uma intoxicação também deve ser tratada diferencialmente.

Mais tarde e depois de analisar as causas, o tratamento correspondente será aplicado em cada caso, de acordo com suas causas .

About the Author Psiconlinebrasil

Tudo sobre psicologia e comportamento.

follow me on:

Leave a Comment:

1 comment
Add Your Reply